segunda-feira, 3 de maio de 2010

Família Biológica

Hoje será um dia maravilhoso, mais do que os outros, pois o Espírito Santo de Deus já se manifestou em minha casa, usando alguém que jamais eu poderia imaginar!

Um dos meus cunhados, me pediu perdão por tudo que um dia fez contra mim e minha família.
Isso é história pra um outro post, mas eu não poderia deixar de relatar aqui, pois não nos falávamos a muito tempo e hoje a Paz voltou a reinar em meu lar.
O perdão foi liberado! Deus seja Louvado!!!

No último post terminei falando sobre minha família biológica e agora irei concluir mais um "capítulo" de minha vida neste blog.
-

Fui ao estado onde minha família biológica moram e passei mais ou menos uns 2 meses com eles.
Essa experiência foi inesquecível, pois aprendi algumas lições que só vivenciando, pra valorizar minha família "adotiva".

Minha mãe me levou a rodoviária, junto com uma de minhas irmãs (ela estava grávida) e a viagem toda me acabei de chorar.
Chegando lá, conheci todos.
Descobri que tenho um casal de irmãos..

A vida que sempre tive não existia mais! Estava num lugar onde não tinha afeição por ninguém e pior, conheci uma pessoa que pra mim estava morta, pelo menos assim foi passado pra mim a vida toda.

Fiquei muito próxima de meu irmão B e aprendi a não gostar de minha irmã P, pois ela fez coisas comigo e na minha frente, que jamais imaginaria!

Meu pai contou que me procurou muito; que veio saber de minha existência quando eu tinha aproximadamente uns 13 anos, mas não me achou, pois disseram que eu tinha ido morar em um tal estado muito longe.

Lá aprendi a valorizar o que sempre tive, minha família, pois como já comentei passei fome.
Ex: Enquanto eu comia arroz, macarrão, feijão, dois pedaços de carne e ainda escolhia se queria suco ou refrigerante, lá só tinha macarrão com molho e suco de papel; Quando tinha...

Porém eu precisava passar por mais coisas para valorizar minha família "adotiva".

Minha mãe mandou uma quantia de dinheiro alta e gastei tudo com internet. Passava o dia numa lan house!
Teve um dia que meu Pai R foi tentar me levar pra casa, mas foi uma tentativa em vão, pois deixei ele esperando mais de meia hora em pé ao meu lado e quando terminei de acessar, disse pra que ele fosse embora, pois eu iria colocar mais tempo.
Ou seja, mesmo com tudo, não tinha aprendido a lição!

A mulher que me gerou, contou que tinha me dado porque não tinha condições de me criar e que a sua mãe (minha avó), tinha dito que se ela ficasse comigo, iria colocá-la pra fora de casa.
Também disse que me procurou muito, mas não me achou e que estava muito feliz em me conhecer e foi aquela choradeira (ela, não eu!).

"Infelizmente" não dei muita bola pro que ela disse, pois acho que nada justifica uma mãe abandonar seu filho. Se teve punho pra ter relação sexual, deveria ter punho pra enfrentar as consequências!
E quanto a isso não mudo de opinião, a não ser que Deus diga que estou errada, coisa que não aconteceu até hoje.

O contato que tenho hoje com eles é zero.
Minha mãe "adotiva" que tem e mais com dita minha irmã P.
Prefiro assim!!

Sempre vivi muito bem sem eles e não seria agora que iria mudar.
Não quero ter contato íntimo com aquela mulher, nem com P (irmã); quero sim e devo ter contao com meu irmão B e meu pai R, pois eles não tem culpa de nada que aconteceu, pelo contrário. E mais, me deram muita força no tempo que morei naquele lugar.

Quando fui embora em vez de voltar para casa, minha mãe pediu que meu cunhado F (o mesmo que não nos falávamos até Hoje) me levasse para (...), onde ele estava morando com minha irmã A e meus dois sobrinhos. Ou seja, outro estado e muito longe de onde eu morava.

-

Como podem notar, muita coisa tenho pra contar ainda sobre minha vida.
Fui morar em (...).

-

Volto a dizer que no próximo post continuo essa história.
Preciso ir, pois vou trabalhar daqui a pouco!

Deus ilumine nossos caminhos e nos guarde!!!
Até breve!

Nenhum comentário:

Postar um comentário